Manter o espaço de armazenamento OneDrive

onedrivekeepstorage

A Microsoft anunciou recentemente que iria reduzir a oferta de armazenamento gratuito ao OneDrive.

Aqueles utilizadores mais antigos do serviço online de armazenamento (do tempo SkyDrive) que tiveram acesso a 25GB, ou os mais recentes que tiveram acesso a 7GB, viram a oferta OneDrive ser reduzida para 5GB.

Existe, no entanto, uma forma simples de manter o espaço de armazenamento inicial (incluindo o do bónus dos 15GB da câmara fotográfica), evitando assim esta redução: inscrever-se no programa de bónus do OneDrive.

Os passos são:

image

 

Não é conhecida a data até quando esta oferta se encontra disponível, por isso a minha recomendação é que utilizem o quanto antes e a divulguem.

Esta alteração do espaço de armazenamento afeta apenas quem utilizam o serviço de forma gratuita. Os utilizadores OneDrive com subscrições Office 365 ou os utilizadores que optaram por adquirir armazenamento adicional não serão afetados por esta alteração.

 

Recursos adicionais

Publicação oficial com as alterações ao OneDrive:

https://blog.onedrive.com/onedrive_changes/

Página oficial do OneDrive em Português:

https://onedrive.live.com/about/pt-pt/

 

Consultório: Surface 3 e o mistério do “Ligado, sem carregar”

Esta ligado mas nao esta a carregar

 

Definições de energia

Recentemente deparei-me com um Microsoft Surface 3 que apresentava um comportamento curioso: “mesmo deixando o dispositivo ligado à corrente durante a noite, no dia seguinte o nível de bateria não estava nos 100%, será que a bateria está avariada?”.

O objetivo deste artigo é partilhar um conjunto de dicas para despistar este tipo de problemas e uma forma de contornar o problema da fiabilidade do carregamento da bateria no Surface 3.

A minha primeira reação foi “culpar” a bateria e tentar encontrar evidências que a mesma estava, apesar do equipamento ser recente, com algum defeito. Comecei por correr o diagnóstico de energia do Windows e analisar os resultados.

powercfg -energy

Como se pode ver pela imagem abaixo a bateria não apresenta valores “estranhos” pelo que não poderá ser da bateria.

Relatório do teste de energia

Pensei em seguida tratar-se de um problema com as definições do modelo de poupança de energia ativo. Estive a bisbilhotar todas as definições e nenhuma delas me pareceu ser a causadora do problema. Optei por aplicar um outro plano de energia e deixar a carregar durante a noite.

No dia seguinte, efeito idêntico: A bateria não tinha carregado.

Que raios?!? Poderá ser algum ficheiro de sistema do Windows que esteja corrompido? Executei uma verificação usando o SFC

sfc /scannow

Uma vez mais não foi detetado qualquer problema… Ora se não é problema dos ficheiros de sistema poderá ser do driver. A partir do Gestor de Dispositivos verifiquei não havia problema aparente, mas mesmo assim eliminei o controlador e reinstalei-o. Liguei o computador à corrente e o resultado foi o mesmo.

Driver que controla a energia

O próximo passo foi suspeitar de alguma atualização automática do Windows que tivesse introduzido este comportamento incorreto. Uma rápida análise às últimas atualizações aplicadas voltaram a mostrar-se infrutíferas.

Desliguei o Surface, liguei-o à corrente para tirar da equação o driver e o sistema operativo e deixei-o a carregar durante umas horas. Quando o voltei a ligar o nível da energia não tinha aumentado… voltei à estaca zero.

Numa última tentativa decidi efetuar uma pesquisa na Internet para ver se existiam outros utilizadores a queixarem-se de situação idêntica e eis que encontrei encontrei logo um artigo com o título “Surface 3 Is Plugged In But Not Charging”.

De uma forma resumida o artigo explica uma série de experiência efetuadas que levaram a uma conclusão no mínimo curiosa: a ordem com que se liga o carregador ao Surface tem efeito no carregamento ou não da bateria! Tipicamente os utilizadores têm o carregador de equipamento ligado à energia e quando precisam de carregar o equipamento limitam-se a ligar o cabo ao computador. O estudo realizado mostra que se invertermos esta lógica, ou seja, se primeiro ligar o cabo ao Surface e só depois o carregador à energia, o Surface carrega 100% das vezes.

Mistério resolvido.

Microsoft MVP Showcase 2015

MVP Logo

1 Dia, 25 Experts, 14 Talks Técnicas e muito Networking

Evento organizado por Microsoft MVPs de Portugal no 22 de Abril 2015 nas instalações da Microsoft Portugal

 

O Microsoft MVP Showcase é um evento organizado pelos Microsoft MVPs de Portugal com o objetivo de dar a conhecer o programa Microsoft MVP, quem são os MVPs em Portugal e quais as suas áreas de expertise.

Neste evento os MVP vão apresentar um conjunto de sessões, com base na sua área de especialidade, com as últimas novidades e tendências das várias plataformas que vão ser apresentadas. Iremos também promover o contacto com os participantes durante todo o evento. Vamos ter os intervalos onde podem vir falar connosco na zona “Ask the experts” para nos conhecerem e para nos colocarem as vossas questões.

Este evento é gratuito, não percas o teu lugar e regista-te aqui!

Recursos adicionais:

Página oficial:

http://msmvppt.github.io/

Hashtags do evento:

#mvppt
#showcase15

Guia para utilizadores do Windows XP

notificação fim de suporte apresentada aos utilizadores do Windows Update no Windows XP

Imagem

O suporte ao Windows XP termina oficialmente dia 8 de abril de 2014, ou seja, após esta data não serão mais disponibilizadas a partir do Windows Update atualizações.

Este fim de vida, à muito anunciado, tem causado bastante polémica, suscitado dúvidas e até gerado mitos.

Neste artigo vou explicar o significado do fim de vida de um produto Microsoft, abordar as implicações para o negócio em manter o Windows XP no ativo; descrever algumas das preocupações do ponto de vista de segurança e conselhos para quem tem de manter este sistema operativo no ativo após 8 de abril.

 

Ciclo de vida de um produto Microsoft

Todos os produtos têm um período de vida durante a qual o fabricante garante todo o suporte em caso de falha ou avaria. No dicionário da Microsoft, fim de vida de um produto, corresponde ao período após o qual a Microsoft deixa de ter de garantir, entre outras coisas, correções de anomalias ou problemas de segurança, isto porque já existe pelo menos uma versão superior.

No que respeita a software empresarial  (caso dos sistemas operativos), a Microsoft garante no mínimo 10 anos de suporte: 5 anos de suporte base a contar desde o lançamento do produto, mais 5 anos após o fim do suporte base a contar da data de disponibilização do produto sucessor.

Imagem

Diferença entre suporte base e extensão de suporte

Imagem 1: Principais diferenças entre suporte base e extensão de suporte

 

O Windows XP foi lançado em 2001, logo o suporte base terminaria em 2006, no entanto porque o Service Pack 3 foi lançado em 2007, o suporte base terminou efetivamente em 2009. Somando 5 a 2009 obtêm-se 2014. Após esta data, apenas os clientes com contratos especiais terão acesso a correções de segurança ou de produto.

 

 

Implicações para o negócio

Basear um negócio ou um processo de negócio num produto sem suporte é um risco. Pode significar perder uma certificação por uso de software não conforme ou então em caso de falha ficar com o negócio parado.

As empresas que se enquadrem neste cenário devem o quanto antes por em marcha um processo de modernização. Este tipo de processos deveria ser uma preocupação constante das empresas que se querem manter competitivas e que querem dotar os seus colaboradores com ferramentas modernas e adequadas aos desafios modernos.

Um sistema operativo moderno, como o Windows 8, é mais barato de manter do que a versão antiga, como o Windows XP, o que se traduz  numa redução de custos para o negócio. Um sistema operativo recente trás também outras capacidades e caraterísticas que ajudam a melhorar o negócio tornando-o mais rápido e/ou mais fácil.

Imagem

Imagem 2 – Fim do suporte base e alargado dos sistemas operativos Windows XP, Windows Vista, Windows 7 e Windows 8

 

 

Implicações de segurança

Um sistema operativo presente em mais de 400 milhões de computadores sem qualquer tipo de correção de possíveis futuras falhas de segurança torna-se num atrativo irresistível para aqueles que  vivem no lado escuro.

Alguns especialistas de segurança proclamam que após esta data estas máquinas serão tomadas por piratas para roubo de informação ou usadas para perpetrarem atos ilícitos.

Pessoalmente acredito que não vai ocorrer nenhum cataclismo, no entanto considero que a vida dos piratas está bastante facilitada, pois entre outras técnicas, poderão simplesmente analisar as correções feitas por exemplo Windows 7 e recriar a mesma falha no Windows XP.

Imagem

Imagem 3 – Taxa de infeção por sistema operativo até ao quarto trimestre de 2012

 

Imagem

Imagem 4 – Mecanismos de segurança presentes no IE8 (versão máxima suportada no Windows XP SP3)  e no IE10 (Windows 8)

 

 

Guia de sobrevivência

 

Dica #1 – Usar utilizadores não administradores

A esmagadora maioria das ameaças de segurança poderiam ser evitadas se os utilizadores tivessem contas normais em vez de administração. Uma conta normal não tem tipicamente privilégios de sistema suficientes para infetar ou danificar o sistema.

 

Dica #2 – Remover do sistema tudo o que não se usa

Este é o momento ideal para verificar no painel de controlo se tem alguma aplicação que já não usa e desinstala-la. Quanto menos aplicações tiver instaladas menor é a superfície de ataque, e por consequência menor o risco de infeção.

 

Dica #3 – Mudar de navegador de internet

Após dia 8, uma eventual falha de segurança no Internet Explore (IE)não será corrigida. Usar um navegador de Internet como o Firefox ou Chrome é uma boa medida uma vez que estes fabricantes vão continuar a suportar e a corrigir eventuais falhas de segurança.

 

Dica #4 – Instalar um antivírus diferente do Microsoft Security Essentials

Apesar das assinaturas de vírus continuarem a serem distribuídas durante mais algum tempo para os utilizadores do Microsoft Security Essentials, o motor do antivírus não vai ser mais atualizado, por isso é uma medida importante instalar um antivírus. Tendo em conta as circunstâncias recomendo um antivírus pago em vez de uma versão gratuita.

 

Dica #5 –Desconectar o computador de toda e qualquer rede

Ao isolar o computador do mundo, as questões de segurança deixam de ser preocupação, isto porque um dos vetores mais usados nas infeções transitam na rede.

 

 

Dúvidas e mitos

 

É verdade que a Microsoft não vai mais disponibilizar atualizações para o Windows XP… nem mesmo se for muito muito importante?

Sim é verdade. Dia 8 será mesmo o último dia que o Windows XP receberá atualizações.

 

Vou ser avisado de alguma forma que o ciclo de vida do meu XP terminou?

Sim. O Windows Update irá enviar uma caixa de diálogo com uma notificação de final de suporte. A notificação irá apresentar o texto indicado na imagem abaixo.

Imagem

Imagem 5 – Notificação de fim de suporte que vai ser apresentada mensalmente ao utilizadores do Windows Update

 

A Microsoft vai continuar a disponibilizar atualizações para o meu Office mesmo que esteja instalado num Windows XP?

Sim. As atualizações e correções de outros produtos, desde que não estejam relacionadas com o sistema operativo, continuaram a ser distribuídas e suportadas.

Após dia 8 o Windows XP vai deixar de funcionar

Não. O Windows XP vai continuar a operar da mesma forma e com a mesma eficiência.

 

É verdade que o Windows Server 2003 termina também o ciclo de vida?

Não. O Windows Server 2003 vê o seu suporte extendido terminado em julho de 2015.

 

 

Recursos adicionais:

Ciclo de Vida do Suporte Microsoft

https://support.microsoft.com/lifecycle/?ln=pt-pt

Notificação de extinção do Windows XP:

https://www.microsoft.com/pt-pt/windows/business/retiring-xp.aspx

Fim do suporte do Windows XP:

http://www.microsoft.com/enterprise/pt-pt/xp-eos.aspx#fbid=bjBspUe2znX

Guia de atualização do Windows XP para Windows 8:

http://windows.microsoft.com/pt-pt/windows-8/upgrade-from-windows-vista-xp-tutorial

Cyber threats to Windows XP and guidance for Small Businesses and Individual Consumers:

http://blogs.technet.com/b/security/archive/2014/03/24/cyber-threats-to-windows-xp-and-guidance-for-small-businesses-and-individual-consumers.aspx

 

Podcast em Português

10web

10web podcast

 

Subscrever e acompanhar regularmente podcasts é claramente uma das formas mais simples e eficazes de nos mantermos atualizados.

Recentemente encontrei um podcast português (com sotaque do norte) onde de forma aberta e descontraída se fala sobre tecnologias: 10web.

 

10web, lê-se dez web ou desenvolvimento web e é um podcast sobre estas coisas do desenvolvimento para a web.

Com um olho no WordPress, outro nas Redes Sociais e um pezinho no CSS mas principalmente com vontade de falar com profissionais portugueses desta área.

No dia 31 de março vai ficar disponivel o 3º programa, desta vez com Nuno Morgadinho da Widgilabs onde, entre outras coisas, se fala sobre como é lançar e manter um tema wordpress.

Nos episódios anteriores falou-se com Francisco Tomé Costa (http://10web.pt/convidados/francisco-tome-costa/), empreendedor com diferentes projetos, tendo abordado questões relativas ao desenvolvimento dos seus projetos Tymr e Chique.

Já falaram também com André Luís (http://10web.pt/convidados/andreluis/), Front-end engineer e especialista em usabilidade, essencialmente sobre webdesign.

O 10web é, para já, um projeto mensal, onde todos os meses irão falar com alguém sobre as diferentes vertentes do desenvolvimento web, desde design a programação passando pelo negócio.

Este projeto é realizado por Ricardo Correia e Vitor Silva.

 

Recursos adicionais:

Página principal do 10web:

http://10web.pt

Artigo de 2010 com mais sugestões de podcasts:

https://ojmoura.wordpress.com/2010/06/14/podcast/

Podem enviar sugestões ou comentários diretamente para os autores do 10web através dos endereços rfvcorreia(arroba)gmail.com ou vitorsilva.com(arroba)gmail.com

 

Consultório: Ao aceder uma biblioteca surge a mensagem “Documents.library-ms deixou de funcionar”

Ao tentar aceder a uma biblioteca corrompida é apresentada a seguinte mensagem de erro:

“Documents.library-ms deixou de funcionar” (“Documents.library-ms não está mais funcionando” em Português do Brasil ou “Documents.library-ms is no longer working” em Inglês)

Figura 1 – Mensagem de erro Documents.library-ms num Windows 7

Uma vez que uma biblioteca não é mais do que um apontador para uma ou mais localizações, a solução passa por eliminar as bibliotecas e recriar novamente as mesmas.

Os passos em detalhe são os seguintes:

1 – No explorador do Windows, clicar com o botão direito do rato na biblioteca “Documentos” que se encontra no painel de navegação (lado esquerdo da janela) e escolher a opção de contexto “Eliminar” conforme figura 2

image

Figura 2 – Opção de contexto para eliminar uma biblioteca no Windows 8.1

2 – Repetir o passo anterior para todas as bibliotecas do Windows (tipicamente “Documentos”, “Imagens”, “Músicas”, “Podcasts”, “Vídeos”)

3 – Uma vez eliminadas todas as bibliotecas, clicar com o botão direito do rato em “Bibliotecas” e escolher a opção de contexto “Restaurar bibliotecas predefinidas” conforme figura 3

image

Figura 3 – Opção de contexto no Windows 8.1 para Restaurar bibliotecas predefinidas

4 – Se no painel de navegação não estiverem a ser apresentadas as bibliotecas, deverá aceder ao friso “Ver”, expandir a lista “Painel de navegação” e escolher a opção “Mostrar bibliotecas”

image

Figura 4 – Configurar o painel de navegação para apresentar as bibliotecas

Recursos adicionais:

Artigo técnico “Opening a Library in Windows Explorer gives error that it is no longer working”: http://support.microsoft.com/kb/2895090

Página dedicada à funcionalidade “Bibliotecas”: http://windows.microsoft.com/pt-pt/windows7/products/features/libraries

Arranque Seguro e UEFI

Unifed Extensible Firmware Interface (UEFI) ou em Português, Interface Unificada de Firmware Extensível, é uma especificação desenhada para substituir o subsistema BIOS (Basic Input Output System) que se encontra presente em todos os computadores. A BIOS é uma peça essencial para coisas tão elementares como instalar um sistema operativo quando ainda não existe nenhum SO instalado.
A necessidade de evolução da BIOS nasceu, tal como quase tudo na indústria, de limitações da plataforma anterior, como por exemplo o limite de endereçamento direto de memória, o aspeto gráfico ou questões de atualização. Esta evolução começou a materializar-se no início do século mas foi só a partir do lançamento do Windows 8, quando a Microsoft indexou a obtenção do logotipo de certificação a uma funcionalidade designada de “Arranque Seguro” (ou “Secure Boot” em Inglês) que se começou a falar sobre UEFI.

Neste artigo vou explicar o que é o Arranque Seguro e como é que o mesmo funciona.

image

Imagem 1 – Arquitetura integridade da plataforma Windows 8

Arranque Seguro (Safe Boot)

O Arranque Seguro foi desenvolvido para impedir malware de se infiltrar na máquina antes do próprio sistema operativo iniciar a sequência de arranque. Se um malware for capaz de se carregar antes do sistema operativo arrancar, o mesmo passa a ter a capacidade de contornar e evitar qualquer medida de segurança e ao mesmo tempo tornar-se invisível (recomendo leitura do artigo Rootkits).

O processo de Arranque Seguro segue o princípio das assinaturas onde apenas o software assinado e aprovado pode ser executado. Se uma peça de software, seja ela sistema operativo, ROMs ou firmware, não se encontrar assinada e aprovada a execução da mesma é recusada.

A primeira peça a ser assinada e autorizada é o Gestor de Arranque do Windows que desta forma impede a partir daquele momento a execução de qualquer outro software antes dele que não se encontre devidamente assinado e autorizado.

image

Imagem 2 – Percurso de arranque com a BIOS no modo Legado

image

Imagem 3 – Percurso de Arranque Seguro com via UEFI

Modo de funcionamento

Internamente o UEFI está dividido em três áreas: Uma que contém a lista de signatários e assinaturas das aplicações autorizadas, conhecida por “db”, uma outra área com o oposto, ou seja, com a lista de signatários não confiáveis ou revogados e aplicações não autorizadas, conhecida por “dbx”, e por último uma área que é usada para atualizar a lista de assinaturas autorizadas e revogadas, conhecida por “KEK”.

Depois de o computador ser ligado, as bases de dados de assinaturas são comparadas com a chave de plataforma. Se o firmware não for confiável, o firmware UEFI tem de iniciar o processo de recuperação específico do fabricante para restaurar um firmware confiável. Se houver um problema com o Gestor de Arranque do Windows, o firmware tentará usar uma cópia de segurança do Gestor de Arranque do Windows. Se isto também falhar, o firmware tem de iniciar o processo de remediação específico do fabricante. Após o início da execução do Gestor de Arranque do Windows, se houver um problema com os controladores ou com o núcleo NTOS, é carregado o Ambiente de Recuperação do Windows (Windows RE), para que seja possível recuperar a imagem destes controladores ou do núcleo. Em seguida, o Windows carrega o software antimalware. Finalmente, o Windows carrega os outros controladores do núcleo e inicializa os processos em modo de utilizador.

clip_image001

Imagem 4 – Bases de dados de segurança para os certificados

Aspetos negativos do Arranque Seguro

Uma das questões levantadas por esta implementação está relacionada com o facto de uma vez o Windows 8 instalado na máquina apenas versões futuras do sistema operativo Windows poderão ser instaladas. Se tentar numa máquina com UEFI/Windows 8 instalar um Linux vai verificar que o mesmo não é possível porque o arranque do boot loader do Linux não vai ser autorizado a arrancar.

Da mesma forma que é possível impedir outros boot loaders de arrancarem é possível instrumentar o arranque seguro para por exemplo impedir a instalação do Windows Server numa máquina que tenha sido vendida com o propósito de correr apenas o Windows 8.

Para aumentar o grau de complexidade deste tema podemos ainda adicionar os seguintes factos:

  • Para se poder gerar chaves válidas, o boot loader precisa ser assinado por uma CA de confiança… este processo é simples numa empresa que produza código fechado mas difícil de se conseguir com código aberto como é o caso do Linux.
  • A maior parte dos fabricantes não incluíram nas placas mães a funcionalidade de desligar o Arranque Seguro fazendo com que seja na maior parte dos casos um processo irreversível.

Como determinar se o Windows está arrancar em modo BIOS ou UEFI

Existem diversas técnicas para determinar que modo uma instalação do Windows está a usar para arrancar. Abaixo listo apenas dois desses métodos.

Método #1

1. Executar o comando “msinfo32”

2. Na janela “Informações de sistema” o valor do campo “Modo de BIOS” indica o modo de arranque do Windows

clip_image003

Imagem 6 – Janela Informações de Sistema mostrando que a BIOS se encontra em modo Legado

Método #2

1. Executar o comando “notepad C:\Windows\Panther\setupact.log”

2. No Bloco de Notas pesquisar por “Detected boot environment”

clip_image005

Imagem 7 – Entrada do ficheiro setupact.log mostrando que a BIOS se encontra em modo Legado

Consultório: Após atualizar para o Windows 8.1 aparece a marca de água a dizer que o Secure Boot (Inicialização Segura) não se encontra configurado corretamente

Na maior parte dos casos a forma de ultrapassar esta situação passa por desligar na BIOS o modo legado (legacy mode) da mesma e ativar o Secure Boot. Se a BIOS não apresentar esta opção o primeiro passo a fazer é procurar no sítio do fabricante se existem atualizações de firmware para a BIOS que possam ser aplicadas ao sistema, caso existam, devem aplicar-se, caso contrário pode aplicar-se a correção descrita no artigo “Actualização remove a marca d’água “O Windows 8.1 SecureBoot não está configurado correctamente” no ponto 8.1 do Windows e Windows Server R2 de 2012”.

Em alternativa à aplicação da correção, pode desativar-se o LUA (Limited User Account) no registry, reiniciar o computador, verificar que a marca d’água já não aparece e voltar a ativar o LUA. Para efetuar esta operação deve alterar-se o valor da chave EnableLUA de 1 (ativo) para 0 (desativo) que se encontra em:

HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Policies\System

image

Chave do registo para ativar o LUA

Recursos adicionais:

Artigo sobre Rootkits: https://ojmoura.wordpress.com/2011/06/13/rootkits/

Informação sobre “UEFI Secure Booting”: http://mjg59.dreamwidth.org/5552.html

Artigo da equipa Windows sobre “Protecting the pre-OS environment with UEFI”: http://blogs.msdn.com/b/b8/archive/2011/09/22/protecting-the-pre-os-environment-with-uefi.aspx

Artigo da equipa Windows sobre “Reengineering the Windows boot experience”: http://blogs.msdn.com/b/b8/archive/2011/09/20/reengineering-the-windows-boot-experience.aspx

Página sobre o processo de certificação de hardware Windows: http://msdn.microsoft.com/en-us/windows/hardware/gg463010

Informações sobre UEFI no Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/UEFI

Artigo técnico com a correção para remover a marca d’agua SecureBoot: http://support.microsoft.com/kb/2902864/pt-pt